sábado, 1 de janeiro de 2011

Onde as comemorações NÃO chegam!!!

Marcos Antonio Dantas de Oliveira


“Se minha família estiver com saúde em 2011 está bom”, diz Marinete, catadora, que “ganha R$ 3 ou R$ 4 por dia e sustenta duas filhas com o que ganha do Bolsa família” (O Jornal, 26/dez/2010).


Onde as comemorações chegam!!! Deputados alagoanos vão receber R$ 20.000 de salário em 2011 (Gazeta de Alagoas, 29/dez/2010).


Indigne-se para reparar ou erradicar o fosso social, econômico e patrimonial entre os que têm muito e os que têm poucos bens primários – renda, riqueza, liberdade, felicidade, oportunidade, prerrogativas, autorrespeito... .


Ora para o rico, ora para o pobre o uso, a conservação e a preservação dos recursos e serviços naturais, do patrimônio imaterial e dos tributos, em geral, é trabalhado numa visão de que o custo de oportunidade está sempre em conformidade com as exigências do capitalista.


E dessa lógica nenhum trabalhador, nenhum servidor público escapa; até os agricultores e extrativistas familiares – quilombolas, caboclos e indígenas – em seus habitats usam seus sistemas produtivos, suas mais-valias para garantir a continuidade do ciclo produtivo [e econômico], da vida soberba desses poucos ricos – Falta um tributo decente sobre herança, para desconcentrar a riqueza.


Aliás, essas categorias sofrem acossamento de uns poucos ricos inclinados a instituir, cada vez mais, novas prerrogativas em detrimentos dos seus modos de produção, consumo e entretenimento tão degradantes aos potenciais ecológicos e valores culturais.


Ademais, ”a pressão da sociedade sobre o indivíduo pode voltar, sob uma nova forma, a ser tão grande quanto nas comunidades bárbaras, e as nações irão se vangloriar, cada vez mais, de suas realizações coletivas em detrimento das individuais”, diz Bertrand Russel.


Atentai! “Mais de 75% das famílias brasileiras dizem ter pelo menos alguma dificuldade de fazer a renda ‘chegar ao fim do mês” (G1, 17/set/2010). Por outro lado, sem faltar dinheiro antes do fim do mês, está o dono do Itaú, com lucro de R$ 3 bilhões só de abril a junho (Gazeta de Alagoas, 02/01/2011). Tem mais: sem qualquer dificuldade para gastar com o consumo, por exemplo, o Brasil tem 18 pessoas ou famílias com fortunas acima de US$ 1 bilhão, segundo a revista americana Forbes (BBC Brasil, 10/03/2010) - os senhores da vida.


Em Alagoas, dos mais de 03 milhões de moradores, mais de 1,6 milhões são pobres, entre eles, muitos agricultores e extrativistas familiares sobrevivem com até 1/2 salário mínimo.


No entanto, “todo indivíduo nasce com um legítimo direito a uma certa forma de propriedade ou seu equivalente” defendia Thomas Paine já em 1795.


Expie-se!!!


Pintou o sinal verde: Ano Novo!!!


Alfabetize-se ecologicamente, reclice-se [por respeito a diversidade, a parceria, a flexibilidade, cooperação, a interdependência...] para o uso e não uso dos recursos e serviços naturais aprendendo a conhecer, aprendendo a fazer, aprendendo a viver juntos e aprendendo a ser – ao produzir, consumir, divertir-se e preservar. Acelere e vá lendo os sinais de perigo e de boa convivência: a frente, aos lados, na dúvida, releia pelo retrovisor. Formule, execute, maximize, conserve as políticas públicas [inclusive, à família e à cultura]. Avalie-as. Corrija-as, se for o caso.


Exercite a liberdade individual, e assegure seu bem-estar – Bens Primários.


Não obstante, o progresso econômico tem na inovação a condição para a eficiência dos sistemas de produção e distribuição dos bens de consumo; no mercado a possibilidade de reinvestir uma parte os lucros. Assim, os homens e as mulheres dignificam suas labutas diárias, também ao inovar em seus sistemas de produção, de distribuição e de consumo, e podem liberar não só para uns poucos, mais para quase 1,6 milhão de alagoanos pobres, bem-estar individual, familiar e coletivo.


Porém, a acumulação de riqueza privada e pública e de prerrogativas é desfrutada por alguns poucos – e como se não bastasse, há o desempregado rico que gasta fortuna na compra de bens e serviços de uso supérfluo e de obsolescência precoce; enquanto, há aqueles que vivem do sobretrabalho e do subemprego, muitos, e outros milhões do desemprego.


É desejo do democrata – aquele que se sente constrangido em exercer o poder entre seus iguais – que esses bens promovam vantagens para todos, incorporando ao processo econômico, uma legião de desafortunados, via externalidade social e ecológica.


E ainda, no ano novo, a dialética substitua a omissão dos adultos e dos jovens como ferramenta de aproximação e de liberdade entre indivíduos, inculque nos detentores do PIB mais próspero a maximização de oportunidades sociais, econômicas e ecológicas aos agricultores e extrativistas familiares, aos rurícolas e citadinos, e aqueles que os sucederem; assegure-os uma condição de vida para além da liberdade de produzir, consumir e entreter-se, do trabalho e do não-trabalho à liberdade de escolhas múltiplas: cidadania igual, benefício, ética, crença e afeto...


Abaixo os pecados capitais!!! Eleve o amor ao próximo!!! Nesse sentido, desejo-lhes, um próspero Ano Novo.


Publicado pela Tribuna Independente, Maceió - Alagoas, 2011

13 comentários:

  1. Pedagógico. Otávio

    ResponderExcluir
  2. Gostei de começar o ano lendo este artigo tão lúcido. Eliana

    ResponderExcluir
  3. Ótimo para ser debatido neste começo de ano. Artur

    ResponderExcluir
  4. Um começo de ano, foi ler esse artigo. Chico

    ResponderExcluir
  5. Aprecio seus artigos. Evandro

    ResponderExcluir
  6. Olhe que temos o quê comemorar, basta indagativos esses textos. Valmir

    ResponderExcluir
  7. Entre tantas as razões para melhorar a condição de vida dos agricultores familiares, é a cobrança de um tributo sobre herança, e assim desconcentrar a riqueza.Givaldo

    ResponderExcluir
  8. Aquele que se sente constrangido em exercer o poder entre seus iguais, diz tudo quando se trata de um democrata. Hélio

    ResponderExcluir
  9. Li os ótimos comentários acima sobre o texto. Denise

    ResponderExcluir
  10. Parabéns pelos artigos. Rose

    ResponderExcluir
  11. Só o exercício da liberdade e da cidadania igual resulta em avanços na condição de vida. Arnaldo

    ResponderExcluir
  12. Só com o exercício da cidadania é que o agricultor desloca-se para posição mais confortáveis. Vitor

    ResponderExcluir
  13. Se minha família estiver com saúde em 2011 está bom”, diz Marinete, catadora, que “ganha R$ 3 ou R$ 4 por dia. Essa frase mostra como a pobreza, conforma. Sílvio

    ResponderExcluir